DISIDROSE

          Olá!

          Vim falar sobre uma doença bem chatinha, a DISIDROSE.

          Essa doença apresenta pequenas vesículas nas mãos e pés. Ela é mais comum durante o verão e é acompanhada de prurido, excesso de suor (hiperidrose) e descamação.
          Eu tenho desde pequena, mas só fui descobrir seu nome e tratamento este ano, quando ela veio muito forte.

        O que dificultou um pouco eu perceber que poderia ser disidrose, foi o fato de que as bolinhas que se formavam em minhas mãos eram secas, ou seja, não formavam bolhas com líquido dentro, que pudesse chegar a estourar. O que formava eram bolinhas vermelhas, sensíveis ao toque, que coçavam. Eu sentia uma espécie de ardor e dor. É uma sensação muito difícil de descrever. Quando a disidrose ataca, minhas mãos suam muito, ficam vermelhas e todas pintadas. Fica difícil até pra pegar objetos e tocar nas coisas, pois o desconforto é inexplicável.

          Depois de umas 2 semanas passando por isso, resolvi ir ao dermatologista e ele confirmou o diagnóstico de disidrose. O tratamento foi tomar um anti-alérgico potente, usar uma pomada tópica com corticóide e muita hidratação com um hidratante que tivesse uréia.

         Aqui estão algumas fotos das minhas mãos com disidrose. Achei importante fotografar e postar aqui, porque as fotos que achava na internet, não demonstravam exatamente o meu caso.

IMG_0720

IMG_0764

IMG_0773

          A pomada que usei, e longe de eu indicar à vocês porque cada caso é um caso e eu não sou médica, foi a halobex. Eu passava antes de dormir e massageava a mão para absorver o máximo possível. Era ruim pra dormir, mas nada demais. Durante o dia eu usava, e ainda uso, o hidratante Ureadin creme, 20%.  O cheiro do creme não é muito agradável, mas isso por causa da alta concentração de uréia, que é exatamente o que faz o creme ser tão hidratante, o que ajuda muito na disidrose.

        Por fim, uma coisa que usei bastante foi o permanganato de potássio. Eu fazia 1 a 2 vezes por dia o banho nas mãos, colocava 1 comprimido em uma bacia com uns 3 litros de água quentinha e ficava uns 20 minutos com as mãos de “molho”. Depois de alguns dias, mais ou menos 3 dias fazendo todo esse tratamento, comecei a perceber melhora. Minhas mãos começaram a descamar, o que é normal, e posso dizer que toda a pele da palma da mão e dedos foi trocada por uma lisinha e sem sinal das bolinhas e bolhinhas.

          Todo esse combo foi o que me salvou, porque o desconforto estava insuportável.

        O fato é que demoram alguns dias pra todos esses medicamentos reagirem, mas todos eles foram essenciais para a cura dessa “crise” de disidrose. Mas mesmo depois de haver melhora, a hidratação tem que continuar, porque vai ajudar a evitar uma possível e certeira recidiva.

          Espero poder ter ajudado vocês, que sofrem disso e às vezes possuem outras características, assim como eu.

       Vale lembrar que a disidrose também é muito ligada ao estresse emocional, então uma prova difícil, um desentendimento, uma situação de estresse no trabalho, tudo isso conta para o aparecimento e para a piora desta doença chata. O jeito é fazer todo o tratamento, ter paciência e tentar relaxar, mesmo quando suas mãos parecerem estar pegando fogo e mesmo quando você achar que está calma, pois algum motivo deve ter influenciado além do clima quente.

          Beijos!

 

Anúncios